Sou nascida em 1966, casada, ex-universitária, professora. Moro no Rio de Janeiro. De alta só tenho a miopia. Gosto de MPB (Djavan, Marisa Monte, Milton, Simone, Adriana Calcanhoto, Chico Buarque...) e Rock (Legião, Skank, Cidade Negra e Beatles). Adoro Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Mário Quintana e Manuel Bandeira. Gosto da natureza: paisagens, cachoeiras, o canto dos pássaros, noites de luar e céu estrelado. Apesar de morar longe, gosto de ir ao cinema e ao teatro sempre que posso.

 

    Letra Morta
  Perolada
  Diário de uma Múmia Paralítica
  Opinião Formada
  miss joomitt blues
  Homem-Chavão
  Lêndeas Urbanas
  Drops da Fal
  Vox Dei
  Sopa de Letrinhas
  Coisa Mai Tosca
  Lua Adversa
  Caminhando e Cantando
  Copy & Paste
  A Praça
  Esculacho e simpatia
  Depaupero os impropérios
  O mundo de Dani
  Adeus século xx
  Auto Análise
  Ventania de palavras
  dlua


 

    01/04/2005 a 30/04/2005
  01/03/2005 a 31/03/2005
  01/02/2005 a 28/02/2005
  01/01/2005 a 31/01/2005
  01/12/2004 a 31/12/2004
  01/11/2004 a 30/11/2004
  01/10/2004 a 31/10/2004
  01/09/2004 a 30/09/2004


 

   

   


 
 
Leitores Escassos



Nada Mudou (início)

Infelizmente não pude publicar meu post por inteiro. Aqui vai uma parte e a outra logo a seguir.

Ah esse limite de caracteres...

 

Nada mudou

 

O collant virou body

O rouge virou blush

O pó- de- arroz virou pó- compacto

O brilho virou gloss

O rímel virou máscara

A lycra virou stretch

Anabela virou plataforma

O corpete virou porta-seios

Que virou sutiã

A peruca virou aplique, interlace, megahair

A escova virou progressiva

E na pele ficou agressiva..

"Problemas de moça" viraram TPM

Confete virou MM

A crise de nervos virou stress

A chita virou viscose.

A purpurina virou gliter

A brilhantina virou mousse

Os halteres viraram bomba

A ergométrica virou spinning

A tanga virou fio dental

E o fio dental virou anti-séptico bucal

Ninguém mais vê...

Ping-Pong virou Babaloo

O la carte virou self-service

O espaguete virou lasanha

O silicone virou sanha

A paquera virou pegação

A gafieira virou dança de salão

O que era praça virou shopping

O mar virou lama

A areia virou ringue

A caneta virou teclado

O long play virou CD

A fita de vídeo é DVD

O CD já é MP3

É um filho onde éramos seis

A foto é digital

O namoro agora é virtual

A cantada virou torpedo

E do" não" não se tem medo



Escrito por Deanna Troi às 21h45
[   ] [ envie esta mensagem ]




Nada Mudou (continuação)

O break virou street

O samba, pagode anatômico

O carnaval de rua virou Sapucaí

O folclore brasileiro, halloween

O piano agora é teclado

O forró ficou eletrônico

Fortificante não é mais Biotônico

Bicicleta virou bike

Polícia e ladrão virou counter strike

Folhetins são novelas de tv

Fauna e flora a desaparecer

Lobato virou JK Rowling

Caetano virou um chato

Chico sumiu da fm tv

Baby se converteu

RPM desapareceu

Elis ressuscitou?

Gal virou fênix

Raul e Renato,

Cássia e Cazuza,

Lennon e Elvis,

Todos anjos

Agora só tocam lira...

A bala encontrada agora é perdida

A violência esta coisa maldita!

O professor é agora o facilitador

As lições já não importam mais

A guerra superou a paz

E a sociedade ficou incapaz...



Escrito por Deanna Troi às 21h43
[   ] [ envie esta mensagem ]




"Aleluia, irmãos!"

Aaaaaaaaaaaaaaleluia!
Aleluia! Aleluia! Aleeluia!
Minha linha telefônica voltou a funcionar.Que saudade de vocês!
A pergunta que não quer se calar:Será que ainda sei postar?

Vou responder a todos, podem confiar!



Escrito por Deanna Troi às 17h35
[   ] [ envie esta mensagem ]




Boas notícias

Alô , alô, postando um, dois, três...

Fui ontem levar meus exames no cardiologista. Já havia passado os olhos antes, mas como todo leigo, não entendi xongas. O médico começou a fazer várias anotações: anota daqui, anota dali, folheia um, outro e mais outro e eu ali viajando... reparando na biblioteca do médico, nos objetos da sala, no jaleco escrito professor e, é claro, no médico (que homem bonito aimeudeus parece o Richard Gere) e tudo isso com marido do lado também para ser consultado. Depois de minuciosa análise, silêncio cortado, vem a resposta: apresento um prolapso da válvula mitral  que não precisa de medicação mas apenas de um controle da ansiedade. No caso de cirurgia, recomendou-me não fazer profilaxia com antibiótico pois não é necessário. Apresentei também hipertonia adrenérgica relacionada ao comportamento da função cardíaca intra- esforço no teste ergométrico, nada grave, vou pesquisar a respeito. As recomendações de praxe: praticar exercício físico regularmente( argh!), controlar a ansiedade e não me preocupar com esta situação. Segundo a medicina mulheres jovens e  ansiosas apresentam este quadro.Vejam, queridos, fui classificada como jovem...Vai ver que eu não saí da adolescência ainda e nem me avisaram. Bem que uma colega falava para mim que por ser adotada e minha certidão de nascimento ser fotocópia era bem provável que eu não fosse eu  ha ha ha.Voltei para casa um pouco mais tranqüila.O controle do hipotireoidismo é que ficou mais enjoado porque o" memédio"  passou para 50mg. Ao começar com esta nova dosagem, acordei, fique mais alerta, agora já não bato com a fuça no chão ao ver tv, consigo levantar quando o relógio toca, a casa ficou mais limpinha, os trabalhos da rapaziada começaram a ser entregues corrigidos no tempo certo,etc.



Escrito por Deanna Troi às 23h20
[   ] [ envie esta mensagem ]




Fui atropelada...

Por uma bicicleta, hoje às 11H e 15min, aqui em casa mesmo. Na verdade, há muito tempo já havia percebido que ela vinha me observando à espreita. Bastava eu abrir a porta da sala e lá estava...O curioso é que sempre estava só, não tinha ninguém junto dela, pois muitos como eu tendem a fugir já que é bastante rápida e decidida.De tanto falarem que seria muito bom deixá-la fazer suas vontades, permiti-me,uma vez que também seria inútil escapar.É, caros amigos, fui colhida por uma bicicleta ergométrica...Trinta minutos para começar e nada mal...Agora temos uma relação de amor e ódio.

Escrito por Deanna Troi às 12h16
[   ] [ envie esta mensagem ]




Nada contra as leis...

Pessoal, nada contra as leis mas que tá difícil guardá-las de cor, ah isso tá...Estou me perguntando se valerá a pena fazer essa prova. Minha memória não anda muito boa. É a PVC. Você sabe do que se trata, querido leitor leitor? Não? É a P* da Velhice Chegando. Talvez seja também um problema de junta...Junta tudo e joga fora. Quem inventou Estrutura e Funcionamento de Ensino, meu Deus, quem?

Escrito por Deanna Troi às 01h40
[   ] [ envie esta mensagem ]




Sobrevivência


Parabéns para nós! Este blog hoje,ou melhor,ontem completou um mês de sobrevivência e ele só existe por causa de vocês, meus leitores. E o que é um blog sem leitores e comentários? Apenas um simples diário, que também pode, é claro, atender à expectativa do seu criador, o que não é o meu caso, pois a participação de vocês traz sempre o frescor, a reflexão, e me deixa muito feliz.
Fico surpresa ao ouvir críticas sobre a comunidade blogueira como aconteceu há algumas semanas quando um professor lá no curso, aliás, ótimo professor, ao ser questionado sobre os escritos virtuais disse: " ...melhor que fiquem por lá..." Fiquei um pouco desapontada pois tenho lido tanta coisa interessante, só não citarei os nomes para não magoar ninguém. São textos reflexivos, engraçados, com um humor inteligente e bem construído, são poemas belíssimos, narrativas surpreendentes e experiências de vida também. Puxa vida! Quanta coisa ele está perdendo...
Como escrevi lá no primeiro post, a nossa sala de visitas continua e continuará à sua espera, leitor(a) indeciso(a), atarefado(a) e também tímido(a)...Venha conhecer os meus leitores escassos, porém fiéis a quem desejo dar o meu muito obrigado.



Escrito por Deanna Troi às 02h11
[   ] [ envie esta mensagem ]




Estranhamento

Semana de trabalho um tanto esquisita:começa na quarta e acaba na quinta...De trabalho fora de casa, porque dentro... a pilha só cresce. A mesa já não cabe em si de contentamento, diria que ela está cheia de si... 

Escrito por Deanna Troi às 20h19
[   ] [ envie esta mensagem ]




Uns ficam outros vão

Triste me pergunto: Por que alguns Fernandos permanecem e outros se vão?
E a nossa Literatura fica mais órfã...
 



Escrito por Deanna Troi às 17h23
[   ] [ envie esta mensagem ]




Chamando vaias

           Faces Ocultas

Oh, amor, que face se revelará totalmente
Na deliciosa brincadeira dos amantes,
Para que te somes aos dois errantes
A fim de reinares eternamente?

Da resposta fazes o suspense
Na profusão de bocas desapareces,
Nos ousados beijos te enriqueces,
Ordenando que não mais se pense.

E o divertido jogo assim continua,
Pequenas pistas que se somam
Na busca incessante da face nua.

Distantes, os corpos se chamam:
"Ocultam-se" um do outro mas se amam
Noite escura...lua nua...face tua.

                                    (Deanna Troi)



Escrito por Deanna Troi às 22h45
[   ] [ envie esta mensagem ]




O fio da meada

Já teve a sensação de ter tanta coisa para fazer, tantas solicitações, não saber por onde começar e ainda por cima sentir uma necessidade de escapismo e de isolamento? Gostaria de ser um pouco como os ursos para hibernar bem quietinha no meu canto, sem precisar fazer nada pra ninguém. Egoísmo? Talvez, mas como disse um candidato a prefeito: "Às vezes também sou humano"(humana).

Escrito por Deanna Troi às 00h03
[   ] [ envie esta mensagem ]




A mulher-bomba

 Hoje coloquei o holter para medir os batimentos cardíacos observando as variações quando estiver em atividade. Meu fofs me diz que é o cachorrinho que preciso carregar para onde for...
 Assim que cheguei na clínica, precisei aguardar a chamada. E adivinhe o que sempre acontece
comigo nestes locais: alguém senta-se ao meu lado e começa a contar sobre a constipação, os cálculos renais, a úlcera, as pontes de safena,as complicações com uma espinha espremida (que fizeram a fulana "perder quase  a metade do rosto") etc.etc. Sempre escuto e procuro dar apoio emocional. O inconveniente é que nunca sei se já fui chamada.Discretamente levantei e fui para perto da porta me informar. A moça me chamou, fez algumas perguntas de praxe, mas fiquei surpresa quando ela , ao colar os eletrodos, falou:" A senhora nem precisou levantar os seios como as outras pacientes..." E eu: Que bom! Minha situação até que não está tão ruim assim, não é? Silêncio no recinto.Corta para a sala de aula à noite.
Falei para os alunos: Cuidado comigo! Sou a mulher-bomba e posso explodir tudo isso! Eles
adoraram a brincadeira. Não é que por volta das nove o transformador explodiu e a luz acabou? Corta para a casa.
Em casa, dificuldades com o banho para não molhar o aparelho e os cinco eletrodos. Não quero nem
pensar em ter vontade de... Bom, não quero pensar. O fato é que não vejo a hora de tirar esta porcaria



Escrito por Deanna Troi às 01h06
[   ] [ envie esta mensagem ]





[ ver mensagens anteriores ]